SEGURANÇA AO EMPREENDER

A vida é repleta de incertezas, no entanto, aos que se arriscam em mudar para um novo país, mensurar os riscos torna-se essencial. Ainda mais, se o objetivo for o de empreender, já que além de coragem, é imprescindível um bom planejamento financeiro e estratégico.

Ao colocar no papel as receitas e despesas do empreendimento, fica evidente o quão necessário é o equilíbrio entre os dois indicadores. Por isso mesmo, um dos pontos iniciais de qualquer negócio é a busca pela garantia de segurança financeira no caso de adversidades, que podem comprometer todo o andamento da empresa.


Saúde financeira, capital inicial e de giro, consultoria contábil e, claro, apólices de seguro, há muito para se certificar e correr atrás quando o assunto é a abertura de um novo

negócio, deixando muitos empreendedores perdidos entre tantos passos e denominações. Dominando o mercado de seguro como poucos, Alex Arruda explica de forma simples e com uma incrível riqueza de detalhes os conceitos, termos e estágios aparentemente complicados do mundo do business.


Formado em análise de sistemas, o hoje consultor de seguros atuou na área de informática em grandes multinacionais. Apesar da carreira já consolidada no Brasil, mudou-se

para Londres em 2004, de início para aprimorar o inglês. Porém, gostou tanto do novo país que decidiu ficar definitivamente e hoje atua na Precise Protect Limited. Com mais de 20

anos de mercado, a empresa é considerada uma das maiores e mais conceituadas no mercado de seguros na Inglaterra.


OS MAIS INDICADOS PARA IMIGRANTES


O consultor destaca dois seguros essenciais para o empreendedor imigrante brasileiro – o seguro de vida e o seguro salário. O primeiro passo para adquirir um seguro é se cadastrar

no General Practitioner Surgery (GP), que funciona como um centro de saúde local na Inglaterra, como ocorre nas unidades básicas de saúde no Brasil. Um médico geral é designado como o responsável para cuidar das pessoas registradas naquele bairro e todo o sistema de saúde no país é interligado, com o prontuário médico sendo usado para adquirir tanto o seguro de vida quanto o seguro salário.


Os termos de cada apólice são difíceis de compreender, além disso, as regras mudam constantemente. Por este motivo, ao buscar por um seguro, seja ele qual for, sempre é essencial procurar por um profissional licenciado pelo Financial Conduct Authority (FCA) - autoridade referencial, que cria as regras e regulamentações para todas as condutas financeiras na União Europeia. “Todos os atos são registrados. Qualquer dúvida ou informação, assim como qualquer documento solicitado é arquivado de maneira muito organizada. Toda a rigidez nas regras é a garantia para evitar possíveis fraudes”, explica

Alex.


APÓLICE DE VIDA:

A apólice de vida cobre os seguintes casos: morte natural, acidental, por doença pré-existente e doença terminal. Existem cerca de oito tipos de apólices, o que difere são as características e necessidades de cada assegurado. Os valores das apólices de vida variam de acordo com a idade no momento do contrato, sendo que quanto mais jovem, mais baixo é o valor

pago mensalmente.


Há cada dois ou três anos é necessário o assegurado reavaliar a apólice. “A minha função é sempre buscar o preço mais baixo, mas com a maior cobertura. Como as condições do

mercado alteram constantemente, essa reavaliação de apólice é o momento ideal para verificar se não há nada mais benéfico ao assegurado”, ressalta Alex.

Além da questão financeira, o especialista em seguros explica que é necessário conferir se não houve nenhuma alteração nas condições declaradas. “Ao adquirir o seguro, a pessoa

tem que declarar todas as informações sobre o seu estado de saúde. Por exemplo, se a pessoa declarou não fumar, mas decorrido alguns anos, se tornou fumante. Caso venha a falecer,

no momento da biopsia será evidenciado a nova condição. Caso seja observada discordância das informações declaradas, a seguradora poderá negar o pagamento”, conta.


SEGURO SALÁRIO


Na maioria dos casos, o empreendedor é a maior força de trabalho da empresa, isto quando não é a única. Neste caso, uma doença ou acidente, pode significar a ruína de um

negócio. Por este motivo, o seguro salário é muito benéfico e faz uma enorme diferença.


“Há dois tipos de apólices, uma destinada para quem possui grandes rendimentos e, por este motivo, requer uma avaliação mais complexa; e outra mais simplificada, para quem possui uma receita mais baixa”, explica Alex Arruda. “No segundo caso, o assegurado apresenta apenas os extratos financeiros dos últimos seis meses, assim é realizada uma média da receita. Em ambos os casos, além dos documentos de comprovação de renda, a seguradora solicita o prontuário médico, sendo necessário ao menos dois anos de registro no GP. E, ainda, é importante ressaltar que o seguro cobre apenas 60% do salário, por conta da legislação britânica”, relata o consultor de seguros.


Alex explica que é essencial neste tipo de apólice observar o período de carência, tendo em vista que ela impacta nos custos da apólice e tem de estar de acordo com a necessidade

de cada assegurado. “No momento de fazer a apólice, o assegurado define a partir de quantos dias de afastamento o seguro será acionado. Por exemplo, se o assegurado define um período de espera de 15 dias, mas sofre um acidente que precisa de 10 dias de afastamento, ele não recebe o seguro. Por este motivo, sempre ressalto a necessidade de ter uma reserva financeira para suprir os gastos equivalentes ao período de espera, porque não é possível prever quando será necessário”, finaliza Alex.


www.preciseprotect.co.uk

+44 7795 513976

alex.arruda@me.com

9 visualizações

© 2017 REVISTA NOSSA CIDADE. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

Alameda Roentgen 7D - 1ª andar, Escritório 7 - Telheiras, Lisboa, Portugal

lisboa@revistanossacidade.pt / rnc.lisboa@gmail.com

  • Facebook Basic Black
  • Instagram Basic Black
  • Preto Ícone YouTube