Profissionais de TI em Portugal: Fique por dentro de suas obrigações fiscais

M

anter os compromissos fiscais (finanças) e contributivos (segurança social) em dia é essencial. No entanto, esse pode ser um novo desafio para imigrantes que chegam à Portugal, seja para trabalhar para uma empresa local ou empreender. Com o crescente aumento no número de profissionais e investidores da área de tecnologia buscando pelo país, a TIbratuga oferece uma extensa carteira de parceiros e serviços com foco nessa comunidade - desde o planejamento até o apoio à chegada e consequente cumprimento de obrigações e documentações, bem como a consultoria na gestão dos negócios e suporte ao empreendedorismo.

“Estar sempre a par de questões tributárias e o correto funcionamento de um bom enquadramento fiscal é fundamental para o sucesso em qualquer país”, acrescenta Rogério Teixeira, idealizador da TIbratuga. Entre as diversas parcerias realizadas pela instituição está a Prilva – Contabilidade, Consultoria Fiscal e Mediação de Seguros. “Essa união entre a Prilva e a TIbratuga tem ajudado muitos profissionais, tanto aqueles que já estão em Portugal, como também os que estão na fase de planejamento”, fala a contabilista certificada e diretora-geral da Prilva, Patrícia Silva.

Ela continua: “Cada caso é um caso. É imprescindível, portanto, que seja analisado de maneira individual, auxiliando esse possível cliente a tomar as decisões mais assertivas tanto em sua vida profissional quanto pessoal, considerando-se, ainda, todo o seu agregado familiar, entre outras questões”. Para isso, a TIbratuga disponibilizou o e-mail “fiscal@tibratuga.pt”, em que os especialistas da Prilva concedem orientações sobre esses importantes pontos.

“Muitas vezes somos consultados para fazermos simulações de diferentes propostas que os profissionais recebem de empresas portuguesas e, nessas ocasiões, são referenciadas todas as taxas de impostos portugueses, para que eles consigam ver as situações a curto, médio e longo prazo”, esclarece Patrícia. “A nossa intenção é apresentarmos um panorama claro, mostrando a realidade de Portugal, uma vez que a carga fiscal e contributiva é uma das principais dificuldades no orçamento das famílias.”

Além das questões fiscais gerais - aplicáveis sem distinção entre empreendedores e profissionais (autônomos ou contratados) locais ou estrangeiros, outra aposta da Prilva é a mediação de seguros. “Na minha opinião, a contratação de seguros é outro ponto bastante relevante. O seguro de saúde é o mais importante entre eles, sobretudo tratando-se de uma família estrangeira. Afinal, nem sempre é fácil o acesso aos médicos de família e, hoje em dia, a ida a um hospital público é cobrada. O seguro de acidente de trabalho também é essencial, especialmente para o trabalhador autônomo. Para aqueles que estão empreendendo, por sua vez, é necessário tanto garantir a segurança do negócio quanto estar de olho nas obrigações fiscais referentes a contratação de funcionários”, encerra a contabilista.



11 visualizações

© 2017 REVISTA NOSSA CIDADE. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

Alameda Roentgen 7D - 1ª andar, Escritório 7 - Telheiras, Lisboa, Portugal

lisboa@revistanossacidade.pt / rnc.lisboa@gmail.com

  • Facebook Basic Black
  • Instagram Basic Black
  • Preto Ícone YouTube