PEDRO CARVALHO: Sucesso além-mar

Atualizado: 24 de Ago de 2019



Um dos jovens nomes mais conhecidos da dramaturgia portuguesa, o ator Pedro Carvalho faz sucesso também no Brasil. Atualmente, ele está no ar no horário nobre da Rede Globo, com o personagem Abel.


“A Dona do Pedaço” já é a segunda novela do ator português no horário de maior destaque da emissora de televisão brasileira. Em 2017, ele viveu o personagem Amaro, na novela “O Outro Lado do Paraíso”. Antes disso, porém, o ator já vinha fazendo sucesso na terra verde e amarela, tendo sido o protagonista da novela “Escrava Mãe”, na RecordTV.


Em breve, ainda, o ator também poderá ser visto pelo público brasileiro na novela portuguesa vencedora do Emmy Internacional 2017, “Ouro Verde”, que será exibida na emissora brasileira Band, consolidando o seu nome em três das maiores redes de TV do país. Em entrevista exclusiva para a Revista Nossa Cidade Lisboa, Pedro Carvalho fala sobre a carreira no Brasil, o sucesso do novo personagem e a saudade de Portugal.

Nossa Cidade Lisboa - Desde que atravessou o Atlântico para fazer novelas no Brasil, abriu em sua carreira, já consolidada em Portugal, um novo caminho: o de galã da diversidade. Conte-nos um pouco sobre como está sendo lidar com o sucesso internacional?

Pedro Carvalho – Acho interessante ser reconhecido como o galã da diversidade, por conta dos pares românticos dos personagens que interpretei no Brasil. Amaro em “O Outro Lado do Paraíso, fazia par romântico a Estela, personagem incrível interpretada por Juliana Caldas. O trabalho foi essencial para abordar a questão do nanismo de uma forma séria. Agora, o meu personagem em “A Dona do Pedaço”, o Abel, vive um romance com a personagem transexual vivida pela atriz Glamour Garcia. O reconhecimento do meu trabalho além-fronteiras é algo muito importante para mim. A oportunidade de expandir a minha carreira internacionalmente ocorreu de maneira muito natural, mas é tudo o que desejei na vida.


NC Lisboa - Aliás, o romance do seu personagem na novela A Dona do Pedaço, o Abel com a Britney, interpretada pela atriz trans Glamour Garcia, está fazendo muito sucesso. Como está sendo fazer essa parceria e, também, como é lidar com essa questão tão importante de ser levantada?

PC – Em pouco tempo os dois personagens se tornaram o casal mais querido da novela, porque a interpretação deste núcleo é feita de uma forma leve, com um toque de humor. A Glamour Garcia é um presente para mim, um prazer imensurável conviver com ela e tenho orgulho de contar essa história. É essencial falar desse assunto de uma maneira tão leve e suave, principalmente no atual momento que vivemos no Brasil. Apesar de antiquado e um tanto “bronco”, o Abel é um homem de bom coração. Ele é o retrato da pessoa sem cultura, mas deixa a mensagem de que o amor é o que mais vale. É importante acabar com o preconceito, assim como, compreender que todos somos diferentes, mas, ao mesmo tempo, somos iguais.


NC Lisboa – Em terras portuguesas, você já é bem conhecido. Afinal, são 17 dos seus 32 anos de idade atuando em novelas na terrinha. Quando você começou a se interessar pela atuação?

PC – Eu sempre tive uma profunda ligação com o mundo das artes. Durante a infância, junto com minhas irmãs e primos, gostávamos de fazer apresentações, para os familiares e amigos. É muito marcante para mim lembrar do meu pai filmando as nossas brincadeiras. Sem nenhuma dúvida, esses momentos influenciaram a decisão de seguir a carreira artística. Eu também gostava muito de novelas, além de programas de televisão e rádio, e sempre depois tentava imitar os personagens. Isso porque sempre fui muito observador e minha mãe, ao perceber essa característica, passou a me incentivar a seguir por este caminho. Ainda muito jovem, estudei guitarra clássica no Conservatório de Música. Depois decidi ingressar na faculdade de arquitetura e, ainda, cursar artes cênicas. Quando terminei minhas faculdades e a pós-graduação, fui estudar no Estúdio Corazza, em Madri, na Espanha. Essa é a escola para atores em que o ator Javier Bardem leciona. Em paralelo, estudei espanhol por dois anos.


JÁ TENHO ALGUNS PROJETOS EM VISTA PARA QUANDO ACABAR A NOVELA, MAS, PARA MIM, TUDO TEM O SEU TEMPO.

NC Lisboa – E o que te motivou a se mudar para o Brasil?

PC – Aconteceu de uma forma natural, nada foi mui - to programado. Já tinha uma carreira consolidada, vivendo personagens de grande destaque em Portugal. Porém, descobri que estavam procurando por um ator português para viver o protagonista da novela da Record, “Escrava Mãe”. Me escolheram para o papel, representando uma grande oportunidade para iniciar a minha carreira no Brasil.


NC Lisboa – Por falar nisso, em uma entrevista, você relatou que ser ator na Rede Globo era uma meta profissional. Como foi realizar esse sonho?

PC – Creio que não exista um ator que não deseje trabalhar na Rede Globo. Este era um dos meus sonhos, fico muito feliz com essa realização. Agora, o meu desejo é que essa pareceria continue a crescer.


NC Lisboa – Além de tantas novidades na sua carreira, você precisou se adaptar a um novo país. Vi - vendo no Rio de Janeiro e com uma rotina profissional intensa, o que faz quando bate a saudade da terra natal?

PC – Eu já me sinto completamente em casa vivendo no Brasil. Já construí grandes relações de amizade, as quais tenho como minha família nesse país. Entre um trabalho e outro, tento sempre retornar à terrinha para matar as saudades dos meus amigos e familiares. Ainda bem que hoje temos WhatsApp, que me permite manter um contato muito próximo com eles. Tenho uma ótima relação com os meus pais, inclusive, posso afirmar que eles são os meus maiores incentivadores. Eles estão presentes em tudo o que faço na minha carreira.


NC Lisboa - E, para finalizar, após encerrar as gravações da novela, quais são os seus próximos projetos?

PC – Gosto de pensar em um projeto de cada vez. Neste momento, eu estou muito feliz e dedicado com o meu personagem na novela “A Dona do Pedaço”. Estou em uma fase incrível, recebendo o carinho do público brasileiro. Já tenho alguns projetos em vista para quando acabar a novela, mas, para mim, tudo tem o seu tempo.






0 visualização

© 2017 REVISTA NOSSA CIDADE. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

Alameda Roentgen 7D - 1ª andar, Escritório 7 - Telheiras, Lisboa, Portugal

lisboa@revistanossacidade.pt / rnc.lisboa@gmail.com

  • Facebook Basic Black
  • Instagram Basic Black
  • Preto Ícone YouTube