O exercício do olhar

T

odo fotógrafo tem um quê de psicólogo. Obviamente não estamos nos referindo aqui à vertente terapêutica, mas à capacidade de desvendar as emoções e as expectativas das pessoas que os procuram. Um olhar que exige demasiada sensibilidade, mas, sobretudo, muita técnica, conquistada apenas por aqueles que dedicam anos ao estudo e a prática da fotografia - uma das artes mais populares e consumidas em todo o mundo.

“Conhecer a quem estamos fotografando é determinante para conseguirmos espontaneidade e naturalidade no resultado das fotos. Essa preparação para às sessões, procurando as melhores maneiras de desinibir nossos clientes, deixando-os à vontade para assim conseguirmos entregar um trabalho com o qual ele se identifique, é provavelmente um dos maiores desafios encarados por nós, fotógrafos”, confessa Pedro Villa. Estudioso da área há mais de duas décadas, Pedro explica que foi apenas em 2007 que se tornou de fato um fotógrafo profissional. Tanto tempo em meio aos livros e atuando de forma amadora, garantiu-lhe uma bagagem e tanto, logo tornando-se uma referência no estilo retrato e na cobertura de eventos ao redor de Portugal.

Sempre preocupado em explorar o lado humano da fotografia, capturando, eternizando e transmitindo a importância daqueles momentos nas vidas de seus clientes, Pedro ficou particularmente conhecido no universo da fotografia de casamentos. Mas não pára por aí. Com a popularização de diferentes estilos e sessões fotográficas, e sempre aberto ao novo, o profissional pode por meio de seu trabalho acompanhar às mais diversas fases de uma família, indo do pré-wedding, passando pelo casamento, sessões “trash the dress” até ensaios de gestante, batizados, retratos de família, sessões individuais e em grupo, aniversários e muito mais.

E apesar de todo esse reconhecimento retratando pessoas, a fotografia comercial de produto também faz parte do seu portfólio, revelando mais uma faceta - com diferentes técnicas e habilidades - do profissional. A verdade é que ao decorrer desses 20 anos, Pedro Villa teve de se adaptar aos mais diversos momentos, especialmente com a chegada e dominação do mercado da fotografia digital.

“Se perguntar para qualquer fotógrafo que tenha aprendido no analógico, como eu, penso que todos eles serão unânimes em responder a essa questão da mesma forma. A maior mudança foi a implementação em definitivo do digital”, reforça. “Deixar de usar químicos e câmara escura na revelação, além de todo o potencial que hoje temos para editar uma foto, certamente trouxe vantagens. Por outro lado, tornou a fotografia muito mais exigente e desafiante, e isso nos obriga a sermos cada vez mais inovadores e criativos.”

Para conhecer um pouco mais do trabalho ilimitado do fotógrafo, visite seu website ou navegue por suas redes sociais (confira os endereços no box ao lado).




3 visualizações

© 2017 REVISTA NOSSA CIDADE. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

Alameda Roentgen 7D - 1ª andar, Escritório 7 - Telheiras, Lisboa, Portugal

lisboa@revistanossacidade.pt / rnc.lisboa@gmail.com

  • Facebook Basic Black
  • Instagram Basic Black
  • Preto Ícone YouTube