Gestão empresarial saudável e lucrativa. Entenda o papel crucial do contabilista para a vida do seu

Se és empresário, certamente focas vossos esforços em um objectivo: o lucro! Mas como garantir que os negócios possam gerar mais lucros do que custos em meio a tantos impostos, obrigações fiscais e despesas de uma forma geral? É aí que entra o papel de um bom contabilista. A garantir mais do que cálculos precisos e o cumprimento dessas obrigações, é esse profissional que prestará o apoio à administração e gestão financeira das empresas, a auxiliar no processo de tomada de decisões e possibilitar a regularidade contabilística, o que, entre outros benefícios, garante o sucesso financeiro do negócio.

“A importância do contabilista para uma gestão empresarial saudável se dá desde o momento em que recebemos as informações necessárias à escritura da empresa e estende-se por toda a vida do negócio. Trata-se de um processo contínuo de troca de informações e busca das melhores soluções para nossos clientes”, garante Eunice Barrigó, sócia-gerente da Packman Solutions, que oferece um pacote completo de soluções para o desenvolvimento do seu negócio.

“Os serviços oferecidos pela Packman são diversos e customizáveis, a ir além da contabilidade, a passar pela consultoria fiscal, recursos humanos e todo o apoio à gestão”, explica Eunice. “O sucesso de uma boa gestão financeira dependerá, portanto, da união entre as informações contabilísticas, do setor financeiro, do envolvimento dos colaboradores e também do comportamento do mercado em que se está inserido, sempre de olho nos movimentos e novidades deste. Sem esta sintonia é difícil manter uma empresa saudável, com impostos e custos reduzidos, rotinas e dados claros, e, sobretudo, que gere lucros.”

Dessa maneira, após receber toda a documentação necessária para apoio ao negócio, os profissionais da Packman podem efetuar desde os registos contabilísticos e emissão de balanços até mapas de exploração, de origem e aplicação de fundos, rácios económico-financeiros etc., além de orientarem o empresário a compreender a situação financeira e processual da empresa, permitindo que sejam tomadas decisões lucrativas e assertivas.

Vale ressaltar, aliás, que qualquer empresa, independentemente de seu tamanho e área de atuação, é obrigada a possuir contabilidade organizada desde sua abertura. Falando nisso, a própria declaração fiscal de início de atividade, que tem de ser remetida ao Fisco no prazo de 15 dias a partir da data da escritura de constituição do empreendimento, deverá ser já remetida e assinada por um contabilista certificado. O mesmo se aplica para empresários estrangeiros, como os brasileiros, que estejam cogitando empreender em Portugal.



2 visualizações

© 2017 REVISTA NOSSA CIDADE. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

Alameda Roentgen 7D - 1ª andar, Escritório 7 - Telheiras, Lisboa, Portugal

lisboa@revistanossacidade.pt / rnc.lisboa@gmail.com

  • Facebook Basic Black
  • Instagram Basic Black
  • Preto Ícone YouTube