AUTENTICIDADE PARA SABER ONDE QUER CHEGAR

Atualizado: 23 de Ago de 2019


PORTUGAL INSTIGA O EMPREENDEDORISMO, FOI AQUI QUE COMECEI A ABRIR A MENTE DE EMPREENDEDORA”

Quando questionada sobre o que mais sente saudade do Brasil, a empresária Meire Lavaggi surpreende na resposta. “Sinto saudade de pegar fruta do pé”, conta sorrindo. Como diz o pensador e filósofo chinês, Confúcio, “uma pessoa comum maravilha-se com coisas incomuns; um sábio maravilha-se com o corriqueiro.” Nascida na linda Maceió, capital do estado do Alagoas, Meire cresceu na cidade interiorana de Barra de Santo Antônio. Um vilarejo simples, cativante e com belas paisagens, localizado entre Maceió e Maragogi. Além das frutas do quintal, Meire recorda com detalhes da infância cheia de cor e música. “Lembro dos banhos de rio, de brincar livre aproveitando as belezas naturais do meu estado. Além, claro, sinto saudade da música brasileira. Ao meu ver, isso é algo fundamental, porque me faz sentir aquela nostalgia gostosa dos bons momentos que vivi”, relata a empresária. Apesar da saudade ao lembrar de sua terra natal, para Meire, Portugal é o seu lar, o lugar que escolheu para viver desde o primeiro momento. “Ainda quando o avião aterrissava, tive o ‘feeling’ de que esse seria o meu lar. Tinha vindo apenas a passeio, para visitar um amigo, mas, pouco tempo depois, me mudei para cá com minha família e não me vejo morando em outro lugar no mundo”, diz. A escolha do país não foi por falta de opção. Meire já esteve por todos os continentes, teve a oportunidade de conhecer culturas, línguas, histórias tão diferentes da sua. De todos os lugares, além de belas fotos, ela leva grandes amizades. “Conheci todo tipo de gente por onde passei no decorrer de minha vida. Sempre gostei de conhecer pessoas, de conversar e interagir. Não me limito mesmo quando não falo o idioma, tenho amigos do mundo todo e tento, mesmo que à distância, me manter presente em suas vidas.


Empreender não estava nos planos mas, segundo ela, foi consequência dos caminhos da vida. “Portugal instiga o empreendedorismo, foi aqui que comecei a abrir a mente de empreendedora. Apesar de não estar nos meus planos, aconteceu de uma maneira muito natural. Quando surgiu a oportunidade de investir na Revista Nossa Cidade, percebi que parecia muito comigo, assim como, com os meus gostos e ideais. Sempre gostei de sair, dos eventos e de me comunicar e ajudar as pessoas. Como diretora de relações públicas, me sinto verdadeiramente feliz. ” Dos desafios da vida, Meire destaca que as agruras foram muito além de ser uma mulher empreendedora, destacando a discriminação muitas vezes sofrida por suas raízes. “Por mais absurdo que possa parecer, a mulher nordestina sofre muita discriminação no Brasil. Vivi no Rio de Janeiro e senti na pele essa faceta triste do nosso povo. Então, quando pensei no fato de uma mulher nordestina se tornar empreendedora na Europa, fiquei um tanto receosa. Mas conheci pessoas incríveis, que me ajudaram muito. Hoje, com muita fé em Deus, posso dizer que me sinto uma verdadeira empreendedora.” Para quem a observa passar com um sorriso que quase parece uma gargalhada, o que mais encanta em Meire é exatamente a simplicidade em que fala sobre a vida. Mas a verdade é que apenas aqueles que reconhecem o valor e o poder de ser quem é, abre espaço para viver de maneira tão autêntica e feliz, o que se reflete, claro, nos negócios. Afinal, saber se comunicar e ter autenticidade para saber o que quer e lutar por isso são pontos essenciais para o sucesso de qualquer profissional e empreendimento.

0 visualização

© 2017 REVISTA NOSSA CIDADE. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

Alameda Roentgen 7D - 1ª andar, Escritório 7 - Telheiras, Lisboa, Portugal

lisboa@revistanossacidade.pt / rnc.lisboa@gmail.com

  • Facebook Basic Black
  • Instagram Basic Black
  • Preto Ícone YouTube